A arte da patinagem artística - Leonor Pereira

Atualizado: 19 de ago.

A Patinagem Artística é uma modalidade desportiva constituída basicamente por três elementos específicos - o do domínio dos Patins ou Patinagem, o da Execução Técnica ou Elementos Técnicos Figurativos e o da Arte ou Adaptação Interpretativa e Representativa.

Para além destas particularidades, a especificidade da sua Técnica associada à Arte na interpretação e representação coreográfica, constituem um todo que permite “quadros” estéticos e artísticos de rara beleza e únicos.

Alcançar, contudo, o domínio suficiente destas técnicas e o seu aperfeiçoamento a níveis que possam ser apresentados em público nos recintos onde esta Modalidade Desportiva é sublimada e objectivamente se converte numa Arte, EXIGE por parte do atleta uma disponibilidade Temporal, Física e Mental TOTAL que muitos poucos estão preparados para abraçar, e mesmo para os que a tal se decidem, terão pela frente no mínimo uma dezena de anos de trabalho e várias horas de treino diário, para que os primeiros resultados possam ser visíveis.

Associar a música aos gestos e à forma de expressão, bem como dominar os elementos técnicos e integrá-los na coreografia, de forma harmoniosa e artística, exige um perfeito domínio do corpo, um trabalho sempre contínuo, renovado e persistente, e uma procura/apuramento permanente.

São indissociáveis quer a virtuosidade técnica, quer a música e a coreografia, e constituem um todo que quando alcançado, permite atingir o objectivo, embora sem ser definitivo.


Que o diga a nossa Leonor Pereira, que além de fazer teatro e dançar, descobriu também a sua maior paixão, a patinagem artística, tendo ganho ainda por cima o primeiro lugar no campeonato de Verão. Por isso, decidimos entrevistá-la para sabermos mais sobre esta modalidade:



1. O que é para ti a patinagem?


- Para mim a patinagem é como um porto seguro e uma válvula de escape. Quando patino nada mais importa, sou só eu e os patins, a sensação de liberdade é algo inexplicável que só alguém que pratica, ou já praticou, conhece.

Quando patino todos os pensamentos que me atormentam simplesmente desaparecem como magia, é incrível.

Posso dizer que pra mim patinar é como voar e é com certeza a minha maior paixão.



2. Como começou a tua paixão pela patinagem?


- Tudo começou em 2016/2017, à 5/6 anos. Nessa altura passava na Disney Channel uma série chamada "Soy Luna", que fala sobre a vida de Luna, uma adolescente apaixonada por patinar. Desde que comecei a ver que tive vontade de patinar também, para sentir a liberdade de que ela falava na série e foi aí que pedi uns patins à minha mãe e a aventura começou de verdade.

Lembro-me que da primeira fez que calcei uns patins fui direta ao chão, mas o que importa é que com o tempo fui praticando e aprendendo até finalmente conseguir.

Fui criando cada vez mais um amor incondicional por este desporto e tenho essa paixão até hoje.



3. Achas muito difícil de começar?


- Com certeza começar pode ser um grande desafio para alguns, mas também pode ser algo fácil, depende muito de pessoa para pessoa. No meu caso acho que demorou mais ou menos um mês. É sempre bom ter alguém contigo para te dar a mão no início, assim consegues aprender a técnica sem medo de cair para depois aplica-la sem ajuda!



4. Sempre fizeste aulas acompanhada de um treinador?


- Na verdade não, durante anos patinei sozinha sem fazer grandes elementos, apenas a patinar pra trás e para frente. Só comecei a ter de facto treinos e a aprender elementos da patinagem em fevereiro deste ano no "Hóquei Clube Viseu". Também comecei há uns 2 meses aulas de patinagem no gelo em um projeto da federação de desportos de inverno.



5. É possível ser-se autodidata no que toca a patinagem artística?


- Acho que com certeza se pode aprender sozinho até mesmo vendo dicas e aulas no Youtube, mas no que toca a competições e a aperfeiçoamento de técnica é sempre bom ter um treinador ao lado a dizer no que precisas de melhorar e também para ajudar na inscrição para torneios!



Leonor quando recebeu o prémio



6. Em que é que achas a patinagem artística parecida com o teatro?


- Acho que na transmissão de emoções, quando fazemos um programa de patinagem queremos sempre transmitir alguma coisa, mesmo que seja algo simples como leveza.



7. Consideras a patinagem artística um desporto muito difícil e complexo?


- Uma das características mais marcantes da modalidade é como tudo parece ser fácil de fazer visto por fora, mas a verdade é que tudo requer técnica, postura e muito mais. Acho que podemos considerar que patinagem não é o desporto mais simples, de todo, mas não é um bicho de sete cabeças e não é impossível saber faze-lo bem. Tudo o que é preciso é força de vontade, dedicação, confiança e treino, e não podemos esquecer da paixão que é com certeza algo essencial!



8. Como lidas com as quedas?


- Como diz a minha treinadora "Cair é bom!". Cair é algo super normal e importante na jornada de um patinador, sem queda não à evolução. Caiem tanto pessoas que começaram agora tanto profissionais e está tudo bem!

Só temos de saber cair, levantar e tentar outra vez até conseguir!



9. Qual o maior desafio que já te proporcionou a patinagem?


- Não sei bem, mas a competição foi com certeza um desafio e uma experiência muito diferente já que nunca tinha participado em algo do tipo


10. Como te sentes por teres ficado em primeiro lugar?


- Como foi a minha primeira competição sinto me extremamente feliz e orgulhosa porque, mesmo só tendo aulas à uns 4/5 meses, consegui alcançar uma pontuação mais alta que as outras concorrentes. Sei que podia ter feito melhor e ainda tenho de melhorar cada vez mais, mas mesmo assim sinto-me muito orgulhosa.



11. Se tivesses de dedicar essa vitória a alguém a quem seria e porquê?


- Acho que à minha família e principalmente à minha mãe porque foi ela que sempre me apoiou e me disse para nunca desistir dos meus sonhos.



12. O que dirias a alguém que quer iniciar nessa modalidade?


- Diria para ir em frente porque esta modalidade é algo muito bonito de se fazer e de se ver, e também diria para se inscrever nas aulas do "Hóquei Clube Viseu"(na vertente de patinagem artística) porque lá vão com certeza ajudar e proporcionar uma melhor experiência.



13. Alguma vez ficaste mais desanimada? Se sim, porquê?


- Sim, quando tento fazer algo que quero muito mas não consigo, por vezes sinto-me muito desanimada e frustrada. Lembro-me de um treino na semana antes do torneio em que iamos adicionar um salto que nunca tinha feito ao meu programa, mas eu não estava a conseguir fazê-lo e, não vou mentir, fiquei desanimada. Para tudo na vida há altos e baixos, o que importa é mesmo quando não conseguimos continuar a tentar!



14. Quem são as tuas maiores inspirações?


- A minha maior inspiração é um patinador no gelo olímpico japonês chamado Yuzuru Hanyu! Um dia quero puder conhece-lo e dizer-lhe que me inspira todos os dias e me faz acreditar que tudo é possível.

Mas a nível de Portugal, a minha grande inspiração é mesmo a minha treinadora Carla Almeida que patina tanto em rodas, tanto em gelo e que me tem ajudado muito!



15. Quais os objetivos que pretendes alcançar nesta área?


- O meu maior objetivo e sonho é mesmo conseguir ir às olimpíadas um dia e ser a primeira patinadora portuguesa a representar Portugal nos jogos olímpicos! Sei que ainda tenho um grande caminho pela frente para conseguir alcançar esse objetivo, mas até lá espero ir a competições fora do país.



16. Patinagem artística e teatro achas que combina? Diz-nos porque sim ou porque não!


- Acho que combina muito bem, tanto que até existem teatros que são apresentados em patins (gostava de atuar num desses um dia). Como já disse em outra pergunta lá em cima, quando patinamos queremos transmitir alguma coisa e quando juntamos a magia de patinar com a magia do teatro surge algo muito bonito e admirável!!



Leonor no campeonato

65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo