O futebol é uma arte?

Atualizado: 12 de nov. de 2021

1- Como começou a tua paixão pelo futebol?


Fui criado numa família de futebolistas e desde bem pequeno tive o incentivo dos meus pais que me inscreveram aos 7 anos numa escola de futebol. Aos 13 anos percebi que era uma paixão e a profissão que escolhi para seguir até dois anos atrás, agora não mais como jogador e sim como treinador.


2- Consideras o futebol uma arte? Se sim porquê?


Sim, considero. Penso que como toda arte, envolve a paixão, e no futebol não é diferente. O plantel de jogadores e a equipa técnica são os atores, os dirigentes e presidentes são os realizadores e os adeptos são como se fossem a plateia que paga para assistir um espetáculo.


3- Achas que o futebol tem alguma coisa semelhante ao teatro? Se sim o quê?


Sim! Cada jogo tem uma história e no nosso dia a dia de treinos, viagens e campeonatos temos que vestir personagens diferentes. As vezes somos os vilões e outras vezes somos os heróis. Alguns jogos, mesmo não sendo, são como estreias. Sentimos aquele friozinho na barriga.


4- O que é para ti mais difícil nesse mundo do futebol?


Viver longe da família e dos amigos. Algumas vezes temos de nos privar de eventos importantes, sejam eles aniversários, casamentos ou datas marcantes que não podemos estar presentes em virtude da rotina de treinos e jogos que acontecem nestes momentos.


5- Como é passar de jogador a treinador?


No meu caso foi uma transição mais tranquila, pois antes mesmo de parar de jogar recebi um convite para treinar uma equipa de miúdos (Dínamo C.E). Hoje estou nos campos com outro papel, mas por ter jogado futebol muito tempo, acabou por ser um processo natural.


6- Algum conselho para quem quer começar a treinar?

Ser uma pessoa resiliente e focada e que goste verdadeiramente do que faz.


7- Qual o truque para ser um bom jogador?


Dentro de campo: Gostar de treinar, pois nos treinos consegue-se aperfeiçoar as potencialidades, conhecer os pontos fortes e tentar minimizar os pontos fracos. Fora de campo: ter disciplina e saber lidar com todos os tipos de pessoas e adversidades. E claro, uma pontinha de sorte!


8- O que achas que o futebol tem de mais positivo e negativo?


Nos aspectos positivos destaco a possibilidade de conhecer países, pessoas e culturas distintas, além da sensação indescritível de jogar num estádio lotado. Em relação aos negativos, quando alguns clubes são desorganizados e acabam por não cumprir os acordos pré- estabelecidos. No meu caso, durante o tempo que atuei como jogador e até mesmo agora como treinador, tive muito mais coisas positivas do que negativas.


9- Como te vês no futuro?


É difícil dizer, pois antes de parar de jogar não me via dando continuidade na vida futebolística, mas aqui estou, vivendo novos desafios e descobrindo aptidões que até então desconhecia. Ainda assim, me vejo uma pessoa ativa, praticando atividade física e ao lado da minha esposa, desbravando novos horizontes.


Entrevistado: Thiago Pereira


Se quiseres saber mais sobre o Thiago podes contactar as suas redes sociais e até treinar com ele.





71 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo