Animais de Rua / Abandonados!

Uma realidade triste que todos os dias se repete no nosso país e que, apesar do burburinho que nos últimos tempos se tem feito, no concreto pouco ou nada mudou. Não é possível contabilizar os animais que são abandonados diariamente nem aqueles que vivem na rua, mas não é preciso ser especialista no assunto para perceber que este é um problema social que precisa de ser visto e tratado com muita seriedade e humanidade.

De quem é a responsabilidade sobre estes animais abandonados?

Na minha opinião, estes animais são responsabilidade de todos e desta forma devemos todos nós ajudar, cuidar e resolver. Há leis que devem ser aplicadas, projetos que devem ser desenvolvidos sob responsabilidade do poder local e central, mas a comunidade também tem que fazer parte da solução para este problema. Só com a participação de todos conseguiremos um futuro risonho para ELES (os animais).

Mas o que podem fazer o “poder” e as comunidades?

A castração de animais errantes é sem dúvida, a meu ver, a única forma de controlar a natalidade. A castração de matilhas e colónias e posterior devolução aos locais onde estas se encontravam irá impedir a procriação regular destes animais. Este tem que ser um assunto a desenvolver pelos municípios, parte financeira, e pela comunidade (associações, protetoras, e vizinhos humanos) a identificação das mesmas, sua localização e captura. Quem trata destes animais é quem lhes conhece os hábitos e é com quem eles têm afetividade portanto, o trabalho conjunto é essencial para que estes programas tenham sucesso.

A sensibilização para as necessidades, para o bem-estar animal, para identificação de situações de maus-tratos e de ações que visem culminar com eles, deverá ser desenvolvida por todos nós. Nos municípios, nas juntas de freguesia, nas paróquias, nas escolas, nas nossas conversas com amigos e vizinhos…

A aceitação do conceito de “animal comunitário” tem que ser abraçada pelas populações. Os vizinhos e pessoas próximas comprometerem-se a tratar, cuidar, vacinar, desparasitar, alimentar um animal de rua tornam possível prolongar com saúde e bem-estar a vida de um animal que irá estar em sofrimento constante caso esses mesmos intervenientes lhe virem as costas.

Estas são apenas algumas das coisas que devem ser feitas (e podem ser feitas) rapidamente e sem grande dificuldade, basta todos querermos ajudar os animais, aqueles com quem nos cruzamos atualmente e aqueles com que vamos (ou não) cruzar-nos no futuro!


Autora:Filipa Frutuoso Guerra



44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo