Empregos modernos e preconceito

Atualizado: 12 de nov. de 2021

As inovações tecnológicas são responsáveis por mudanças profundas no modo de vida da sociedade moderna. A relação do ser humano com o tempo e o espaço, por exemplo, é completamente distinta da de há 50 anos atrás.

Com tantas transformações viabilizadas pela tecnologia, especialmente pelo uso da internet, uma das áreas que mais sofre transformações é a profissional. Não há dúvidas de que o conceito de trabalho e das formas de ganhar dinheiro têm significados diferentes para as gerações que nasceram após os anos 90.

Os adolescentes e jovens de hoje em dia estão a conhecer uma nova realidade, que se associa a popularidade, a fama e o profissionalismo antes de por vezes conquistarem o diploma Universitário. Por esse motivo é por vezes alvo de algum tipo de preconceito.

Os YouTubers, como são chamadas as pessoas com canais no Youtube, e outros influenciadores digitais com blogs, Instagram, Twitter e outras redes sociais estão a mudar a forma como produzimos e absorvemos a informação. A internet e outras plataformas digitais democratizaram o audiovisual e, consequentemente, o acesso ao estrelato. Assim pode dizer-se que estes empregos do futuro chegaram para ficar e são cada vez mais uma realidade.

Nem toda a gente compreende exatamente como e porque algumas pessoas fazem tanto sucesso na internet. Quem nunca ouviu a pergunta: “O que é que eles fazem mesmo?”, ou “Eles ganham dinheiro para isso?”, ou ainda “Eles vivem disso ou os pais pagam para fazerem sucesso online?”.

São muitos os preconceitos existentes em relação àqueles que decidiram dedicar-se à profissão virtual. Mas, afinal, o que é um influenciador digital? É uma pessoa que conseguiu acumular uma grande quantidade de seguidores nas redes, canais e plataformas da internet.

Geralmente o influenciador aborda um nicho específico de mercado, como desporto, nutrição, tecnologia, moda, viagens, etc., e com o crescimento da base de seguidores expande também para outras áreas.

"Só queria ter a tua vida! sempre a passear", "só luxo", "só gostava de saber como fazes para teres o que tens, dão-te tudo!" "Tu vives é à custa dos outros", são alguns comentários depreciativos de quem se dedica a este género de profissão. É possível sim viver (e até mesmo ganhar bastante dinheiro) da criação de conteúdos online. Há diversas formas para obter recursos, algumas mais diretas e outras indiretas.

Os influenciadores que atingem uma quantia considerável de seguidores chamam à atenção das marcas que atuam no seu nicho de mercado e frequentemente recebem produtos e serviços gratuitos para experimentarem, comentarem e divulgarem. Alguns influencers têm inclusive um valor fixo e mensal para fazerem divulgação das empresas e produtos.

O investimento de empresas em influenciadores digitais é chamado de marketing de influência, e pesquisas recentes têm apontado que optar por essa estratégia tem mais impacto do que outras em termos de custo-benefício.

O estudo Social Chorus, por exemplo, concluiu que campanhas de marketing a partir de influencers conseguem um engajamento 16 vezes superior ao da publicidade tradicional.

Claro que este género de profissão cria um certo grupo de pessoas interessadas em ver com frequência os seus influencers, e seguem a sua vida ao pormenor, como se fossem fãs. Por isso, os seguidores não bloqueiam os influenciadores da mesma forma que bloqueiam e-mails, pop-ups e outras formas de marketing digital, o que é positivo para o marketing digital, bem como qualquer publicidade online partilhada pelos influencers.

A Visiunarte achou pertinente pesquisar mais sobre este assunto- "O que é afinal um influenciador digital?"e desse modo, colocou algumas questões à instagramer Liliana Filipe - @Lilianaf13 instagram-> www.instagram.com/lilianaf13/


Como começou a ter conhecimento deste tipo de atividade e quando decidiu “eu quero ser instagramer”?

Comecei a ter conhecimento deste tipo de "atividade" como lhe chama através de várias amigas minhas que me inspiraram, pois trabalham como influencers e puxaram o bichinho que havia em mim.

Decidi levar o instagram mais a sério há cerca de 1 ano.


Deu-lhe muito trabalho a integrar nesse meio?

Como tudo na vida leva o seu tempo e claro muito dedicação diária.

Dá trabalho sim, ninguém acorda de um dia para o outro com uma base criada... Tanto de seguidores como de empresas que queiram fechar parcerias contigo.


Quais foram os principais obstáculos?

Em termos de obstáculos eu considero que o tempo que pode demorar por vezes a arrancar pode ser desmotivante...

Quando estás a começar e as empresas querem o ver "portfólio" de parcerias e estás no início é mais complicado.


Sente que existe algum preconceito quanto a esse género de atividade profissional?

Sinto. Há muitas pessoas que acham que as influencers querem viver à custa dos outros e com tudo oferecido. Porém, o papel dos influencers é divulgar uma empresa, um produto, um serviço... Etc Ou seja tem como objetivo alargar o alcance de pessoas ao produto/serviço em questão.

Compreendo que pessoas com mente pequena e ressabiada achem que vivemos à custa dos outros, mas nesse sentido elas também vivem a custa de alguém que é quem lhes paga o ordenado ao final do mês.

Temos de por "pontos nos is" e tocar em verdades que incomodam.


O que sente de diferente em relação a outros empregos que já teve?

A diferença é que nós gerimos o nosso horário... Temos muita flexibilidade nesse aspecto.


O que é mais gratificante para si nessa atividade ?

O mais gratificante é sem dúvida conseguir influenciar alguém de forma positiva... Costumo dar o seguinte exemplo: "se em 20 pessoas conseguiste influenciar 1 pessoa já valeu a pena" .

E claro reconhecerem o teu trabalho nas plataformas sociais.


Como ter um maior alcance numa fotografia ou vídeo?

Para ter um maior alcance nas fotos ou vídeos há vários detalhes a ter em consideração.

O horário que se faz a publicação é um deles. Eu opto sempre pela hora de almoco ou final de dia; os hashtags são muito importantes também, pois possibilitam um alcance muitíssimo mais vasto; identificar a localização; identificar páginas com segmento semelhante.

Para mim estes passos são muito importantes... Claro que há mais, mas para quem queira começar deve começar por aí.


Acha que hoje em dia as pessoas consideram as instagramers uma futilidade ou um exemplo a seguir?

Como tudo na vida há bons exemplos e maus exemplos. Cada influencer tem um estilo... por exemplo perfis com fotos apenas ousadas eu não sou fã e acho que não trazem conteúdo com valor, sou adepta de perfis que mostrem um estilo de vida saudável, maquilhagem, looks, spots, viagens, gastronomia...

Esses perfis que nomeei são um exemplo das principais tendências que nos influenciam de forma positiva na minha opinião.


Acha que a partilha de imagens num perfil de instagramer pode trazer maior alcance a uma empresa, se sim, porquê?

Sem sombra de dúvida que sim... Um perfil que alcance muitos seguidores é uma mais valia para uma empresa que se queira dar a conhecer.

E temos inúmeros exemplos de marcas que se ganharam imensa fama por a influencer A ou B partilhar ou usar.


Acha que essa atividade profissional tem uma idade limite?

Não acho que tenha limite porque podemos sempre escolher e trabalhar em função do nicho de pessoas que queremos alcançar e escolher os produtos ou parcerias mais adequadas a cada um.



Liliana Filipe


86 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo