Entrevista- Inês Branco- Atriz no Luís Filipe La Féria- Ariel

Atualizado: 12 de nov. de 2021

A Visiunarte organizou algumas curiosidades que transformou numa entrevista muito interessante à atriz Inês Branco, que faz de Ariel no elenco "Pequena Sereia" de Luís Filipe La Féria



1- Como lida com o público quando não é tão ativo e não reage durante a peça?


Ora bem, respondendo à primeira questão, quando o público está menos ativo e menos expressivo, o artista por norma tende quase sempre a desmotivar nem que seja um bocadinho, o que é normal, porque são representações ao vivo e nós quer queiramos, quer não, sentimos sempre o feedback e as reações do público, sejam positivas ou negativas. Mas neste caso, quando não há tanta energia por parte do público, nós vamos buscar essa energia aos nossos colegas de trabalho, neste caso, ao resto do elenco, nós damos a motivação e a energia aos nossos colegas em cena e acabamos sempre por nos divertir, e por haver essa partilha também nos tornamos muito unidos e um grupo muito coeso, o que é ótimo.


2- São vocês que se maquilham ou têm maquilhador profissional antes do espetáculo?


Sim, somos nós que nos maquilhamos sozinhos, dão-nos algum material e nós criamos a nossa maquilhagem consoante as diretrizes que nos são dadas, aliás, eu já fiz um vídeo para o instagram em câmara rápida, podem ir lá ver, é um vídeo a mostrar como fazia a minha maquilhagem da personagem antes da Ariel, que foi a Rapunzel, aqui também no teatro Politeama.



3-Normalmente os atores dessas companhias têm de tirar alguma formação em canto, teatro ou dança? Ou podem apenas ter jeito e ser auto didatas?


Claro, é necessário ter formação, até porque isso demonstra que o artista tem conhecimento, capacidades e por consequência também de ter mais probabilidade de ser um artista completo. Contudo, claro que nada é só “preto ou branco”, há raras excepções em que realmente há pessoas auto didatas que conseguem entrar na indústria e vencer, serem bem sucedidas, por isso sim, é como em todo o lado.


4-São vocês que cuidam das vossas roupas e perucas?


No que toca às nossas perucas e nossas roupas, claro que nós temos a responsabilidade de tratar das nossas coisas com todo o amor e carinho, no entanto temos duas pessoas para nos dar assistência sempre que necessário, cada uma da sua área. Por ex: no que toca às roupas temos a assistente de camarim, que não só nos ajuda nas trocas rápidas de roupa durante o espetáculo, mas também, se precisarmos de coser alguma roupa que esteja rasgada, algum botão que nos tenha caído é ela quem nos ajuda a resolver a situação. O mesmo acontece com a perucas, no cabeleireiro, somos quase sempre nós que tratamos das nossas perucas, mas por ex no caso da “Pequena Sereia”, todas as semanas, no ultimo espetáculo de domingo, nós entregamos as nossas perucas ao cabeleireiro para ele dar o seu “toque” profissional e as arranjar “profissionalmente”.


5- Em que escola andou e qual a sua formação?


Eu comecei a ter formação desde muito nova, comecei a ter aulas de canto com 11 anos, depois tive aulas de canto com outros professores/formadores, como por ex o CC, depois tive aulas de dança e também mais recentemente estive a tirar um curso de teatro musical intensivo na ARtsEd em Londres, Arts Educational School. Para além disso, é obvio que considero a experiência profissional muito importante porque te dá outra bagagem e te dá aprendizagens que muitas vezes tu não consegues em nenhuma formação porque só mesmo vivendo e experienciando as coisas é que consegues perceber e enriquecer e eu sinto que mudei muito consoante a minha experiência profissional, como é obvio, fui aprendendo muita coisa, comecei a fazer teatro musical com 12 anos e por isso aprendi bastantes coisas e claro que Filie Lá Féria é uma das melhores escolas para se trabalhar, não é só um trabalho é uma escola.



6- Sempre sonhou em ser atriz profissional?


Como comecei a ter aulas de canto e a fazer musicais muito nova, facilmente veio aquele bichinho, aquela vontade de fazer mais e aquela paixão por teatro musical e por musica, e ao longo dos anos foi crescendo a certeza que era no palco que queria estar, que queria estar, que era feliz e concretizada. Contudo, como também sou uma pessoa muito ativa e multifacetada, acabei por ir sempre experienciando coisas novas, áreas novas ao longo da minha vida, daí ter-me licenciado o ano passado em Ciências da Comunicação ao mesmo tempo em que estava a fazer musicais no Teatro Politeama, ao seja acabei sempre por conciliar as áreas que queria experimentar com a área das artes e do teatro musical


7- Em relação à atribuição dos papeis, sabe se têm em consideração apenas o potencial para certa personagem ou também as características físicas?


No que toca a atribuição de papéis não me cabe a mim faze-la, infelizmente não sou de todo a pessoa indicada para vos responder a esta pergunta, seria se eu fosse o Srº Filipe Lá Féria, só ele próprio vos pode responder a esta questão e dizer-vos como faz a atribuição dos papéis.


8- Qual a parte mais complexa de organizar uma peça de teatro musical?


Enquanto artistas não nos cabe a nós a organização do espetáculo, o Srº Filipe Lá Féria é que está no comando de todas as operações, no entanto, enquanto artista, no que toca por ex a altura de ensaios, na altura de desenvolvimento do projeto, é necessário que estejamos a “full” para que tudo corra bem, porque temos muito pouco tempo para fazer a peça, os ensaios são muito exigentes, temos de dar o nosso máximo para conseguir fazer tudo a tempo e horas.


9- Antes de cada espetáculo fazem algum aquecimento vocal?


Sim, faço aquecimento vocal, tenho poucas rotinas, mas realmente o aquecimento vocal é essencial, assim como o aquecimento físico, precisamos de aquecer a voz e o corpo para o esforço que vamos fazer a seguir e essa preparação é sempre no meio daquilo que é a outra preparação da maquilhagem etc, mais o ensaio de arranque, colocação de micros, teste de som, tudo isso tem de ser feito antes do espetáculo começar, daí termos de ser organizados para conseguirmos fazer tudo.


10- São vocês que desligam e ligam os microfones quando entram e saem de palco?


No que toca a desligarmos ou ligarmos os micros, não temos capacidade nem autorização para mexermos nos micros dessa maneira, fazemos os testes de som e a partir daí não mexemos mais nos micros. Depois temos os técnicos de som que no caso de ser preciso alguma coisa, alguma alteração, trocar as pilhas, é que nos mexem nos micros, fazem eles essa alteração que são especializados para isso, nós no que toca a entrarmos e sairmos de palco, o técnico tem a responsabilidade de ligar e desligar os micros, mas como pode até haver alguma alteração, nós temos essa consciência e não falamos mal saímos do palco.


Agradecemos desde já a amabilidade da atriz Inês Branco em colaborar com esta entrevista à nossa Associação, pois é com a ajuda de todos que também aprendemos a crescer.

Desejamos votos de muito sucesso.






346 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo